En

Contacte-nos

Como foi 2016 segundo a internet?

Gestão de redes sociais | 27 Dezembro 2016 | Miguel Menaia

O “Ano em Revista” é algo pelo qual os internautas normalmente anseiam, permitindo uma rápida retrospectiva do ano numa altura em que a sua passagem toma conta das conversas. Por isso mesmo, e como é habitualmente apanágio das maiores plataformas digitais mundiais, Facebook, Twitter e Google já disponibilizaram, online, a sua visão daquilo que foi 2016. 

Recordemos alguns momentos de 2016 na perspectiva destas plataformas.

1. Facebook

Escreve Mark Zuckerberg, nesta publicação com mais de 185 mil interações e 2 milhões de views, que 2016 foi “um ano díficil para bastantes pessoas um pouco por todo o mundo“. Ainda assim, o CEO do Facebook refere que o que lhe deu esperança foi o sentimento de partilha que existiu nos piores momentos. Reforçando o valor da Comunidade – um conceito muito usado pelo fundador do Facebook – Zuckerberg deseja a todos os utilizadores um “saudável e feliz 2017”, com a esperança de que este seja melhor.

No vídeo, não só podemos ver alguns dos tópicos internacionais mais populares deste ano (Brexita eleição de Donald Trumpa morte de grandes celebridades, ou a febre do Pokémon Go), como também alguns momentos virais na rede social (como a final do Euro 2016, onde uma criança adepta da seleção portuguesa abraça um adepto francês, por exemplo).

Algo interessante sobre este conteúdo é o facto de a realidade se misturar com os posts de Facebook que marcaram 2016.

“As respostas não são fáceis. Mas a existirem respostas, pensamos que temos maior probabilidade de as descobrirmos… juntos”, salienta-se no vídeo.

2. Google: Year In Search 2016

Como é habitual, a Google reuniu as tendências que definiram estes 12 meses no motor de busca mais popular do mundo, e imortalizou essas mesmas pesquisas num vídeo que é auto-explicativo. O resumo de 2016 está no YouTube da empresa desde 14 de Dezembro e conta já com mais de seis milhões de visualizações.

Sendo mais optimista do que o do Facebook, o vídeo de review da Google utiliza a search bar de acordo com as imagens dispostas no ecrã. Por outras palavras, a barra do motor de busca está colocada num ponto estratégico do vídeo, remetendo o espectador para os vários tópicos pesquisados ao longo do ano.

Eis as keywords mais pesquisadas em Portugal (que podem ser consultadas aqui):

  • Euro 2016
  • Pokémon GO
  • Love on Top
  • Jogos Olímpicos Rio 2016
  • iPhone 7

E as keywords mais pesquisadas no mundo (que podem ser consultadas aqui):

  • Pokémon Go
  • iPhone 7
  • Donald Trump
  • Prince
  • Powerball

3. Twitter: #ThisHappened

Por fim, o Twitter apresentou a sua review do ano com um vídeo integrado na sua plataforma. No blog da empresa, pode ler-se que em 2016 “tudo aconteceu no Twitter”. Os tweets aproximaram pessoas independentemente do assunto (notícias, entretenimento, desporto ou política) e da distância.

A rede social divulgou, também, algumas hashtags que fazem, por si só, a súmula do ano que está agora a findar. #Rio2016, #Euro2016, #Brexit e #Trump foram os assuntos mais comentados na rede de microblogging.

Algumas curiosidades sobre a internet em 2016

Estima-se que, em 2016, 3,5 mil milhões de pessoas tiveram  acesso à internet – o que representa cerca de 45% da população mundial. 185 foi o número de minutos que os Millennials (dos quais  já falámos aqui) passaram por dia na internet, em média, este ano. Consultar o e-mail, estar nas redes sociais ou fazer compras online foram as actividades mais comuns feitas pelos internautas.

A rede social dominante foi o Facebook, que este ano atingiu os 1,7 mil milhões de utilizadores activos. O Instagram chegou aos 600 milhões de utilizadores e, para além disso, 2016 foi ainda profícuo no uso de apps de mensagens instantâneas, como o Whatsapp (mil milhões de utilizadores mensais) e o Facebook Messenger (novecentos milhões de utilizadores mensais)

Em relação a tendências, podemos perceber que o e-commerce cresceu bastante neste ano que agora finda, sendo uma forma atractiva de fazer compras um pouco por todo o mundo. É esperado que, em 2018, o e-commerce por telemóvel origine 669 mil milhões de doláres de receita.

Estes e outros factos podem ser consultados no Statista, um website especializado em estudos de mercado, que colabora com várias instituições, empresas e organizações governamentais.

A VAN deseja a todos os seus colaboradores, parceiros e leitores um próspero Ano Novo.

[download file=”https://www.van.pt/wp-content/uploads/2016/05/Os-10-desafios_blogdownload.pdf” title=”Os 10 desafios mais comuns do marketing nas redes sociais”]

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário