En

Contacte-nos

4 campanhas originais em redes sociais

Gestão de redes sociais | 26 Janeiro 2017 | Miguel Menaia

Ser criativo e inovador no mundo digital é, a cada dia que passa, uma tarefa árdua. Com a quantidade de informação presente na internet, e com a quantidade de conteúdo que é produzido ao segundo, sobressair não é só um desafio para os marketers – é uma necessidade. Por isso mesmo, reunimos quatro campanhas de marketing digital que nos chamaram à atenção recentemente, quer pelo seu sentido de humor; quer pela sua essência disruptiva.

1. Spotify usa dados dos utilizadores para criar anúncios relevantes

As ferramentas que analisam as métricas nas redes sociais oferecem-nos bastante informação útil sobre o público-alvo, o que facilita a produção de conteúdo e ajuda a conceber campanhas altamente customizadas.

O Spotify levou este conceito para outro patamar e desenvolveu uma campanha chamada “Thanks 2016, it’s been weird” (“Obrigado 2016, tem sido estranho”, em tradução literal). O serviço de streaming de música examinou os dados de pesquisa dos utilizadores e aplicou esses dados na construção de anúncios. Os anúncios localizados no Reino Unido, EUA, França e Alemanha revelaram-se extremamente significativos para a audiência, uma vez que apresentaram ao grande público as idiossincrasias da comunidade.

“Para nós [Spotify], os dados inspiram-nos e dão-nos uma visão da emoção que as pessoas estão a expressar”, refere Seth Farbman, director de marketing da empresa.

O que podemos aprender: como utilizar os dados de uma forma criativa. Embora os dados sejam bastante úteis e já utilizados para construir uma estratégia de redes sociais, o facto de serem utilizados desta forma torna a marca disruptiva. Encontrar uma alternativa para criar engagement com os utilizadores revela-se, por isso, importante.

2. Airbnb usa emojis para criar engagement

Segundo o diretor de software da Apple (Craig Federighi), as palavras escritas terão cada vez menos importância no futuro, com os emojis a ocuparem um papel preponderante no mundo digital. Por isso mesmo, por que não incluir esta linguagem na estratégia de uma marca? O Airbnb construiu uma campanha de redes sociais bastante interactiva, pedindo à sua base de seguidores que descrevesse as suas férias de sonho apenas com três emojis. O serviço online de partilha de casas incentivou a participação dos seguidores dando-lhes uma recomendação de viagem com base na combinação de emojis que utilizaram.

post no Twitter oficial da empresa – com a hashtag #TripsOnAirBnB – angariou mais de seis mil interacções, entre retweets e favorites.

O que podemos aprender: como aproveitar uma tendência e utilizá-la no nosso negócio. Os emojis são uma trend cada vez mais importante na internet, pelo que a sua utilização se tornou aceite até nas empresas mais tradicionais. Incorporar esta linguagem numa estratégia de redes sociais não só é inteligente como demonstra um espírito jovem e adaptado aos tempos modernos.

3. Buzzfeed cria o Tasty, um autêntico império gastronómico

O BuzzFeed gera cerca de 5 mil milhões de visualizações mensalmente, sendo que 50% dessas visualizações provêm de vídeos. Como tal, a empresa de media tem desenvolvido este tipo de conteúdo com ferramentas de alta qualidade, tornando-se paradigmática ao criar o Tasty – uma marca que produz vídeos com centenas de receitas deliciosas.

Seguindo sempre o mesmo modelo – isto é, os mesmos planos, as mesmas imagens em fast motion, o mesmo tipo de linguagem gráfica – o Tasty tornou-se um fenómeno de popularidade nas redes sociais. Actualmente, a marca tem várias ramificações (cada uma com a gastronomia típica de cada país) e já deu origem a um livro bastante sui generis, onde cada utilizador podia customizar as receitas que gostaria de ter. A página original desta marca criada pelo Buzzfeed conta com 80 milhões de seguidores no Facebook. Podemos afirmar, portanto, que ganhou vida própria, não estando ligada à empresa norte-americana.

O que podemos aprender: como produzir conteúdo altamente partilhável em redes sociais. A história simples (mas não menos apelativa) que estes vídeos transmitem serve totalmente a audiência, que procura receitas deliciosas e rápidas de executar. O apelo visual não é de descurar.

4. VAN cria o Cartas Contra A Agência, o Cards Against Humanity para a vida em agências criativas

Basicamente, a versão desenvolvida pela VAN foca-se nos temas comuns ao marketing digital, webdesign e redes sociaisClientes, parceiros e colegas são todos alvos da sátira presente no Cartas Contra a Agência. A par disso, as referências de cultura pop e da web são uma tónica constante no baralho de cartas, algo que tem aumentado bastante a nossa rede de Instagram.

Sem qualquer intuito comercial nesta acção, o jogo pretende ser uma mostra de criatividade e conteúdo, aproximando a VAN de outras agências, parceiros e outras marcas dentro da mesma indústria. Os valores que as cartas transmitem – diversão, união entre a equipa, sentido de humor, dinamismo – são também os valores da agência.

O que podemos aprender: como criar conteúdo relevante dentro da nossa área de negócio. O tipo de conteúdo presente nas Cartas Contra A Agência tem aumentado grandemente a base de seguidores da VAN no Instagram.

[download file=”https://www.van.pt/wp-content/uploads/2016/05/Os-10-desafios_blogdownload.pdf” title=”Os 10 desafios mais comuns do marketing nas redes sociais”]

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário