En

Contacte-nos

4 princípios de Psicologia que devemos ter em conta quando criamos conteúdo

Comunicação Digital | 17 Agosto 2017 | Miguel Menaia

Estudar determinados padrões comportamentais da audiência pode determinar o sucesso de uma marca a nível digital, na medida em que, assim, se pode criar conteúdo indentificável e partilhável. Saber ler o público-alvo sempre foi essencial para os profissionais de marketing. Por isso, escrevemos, neste artigo, 4 princípios de Psicologia que devemos ter em linha de conta quando estamos a elaborar uma estratégia de conteúdos.

1. Existem cinco razões pelas quais as pessoas partilham conteúdo online 

Em 2011, o The New York Times conduziu uma grande investigação para para compreender aquilo que leva os utilizadores a partilhar conteúdo numa determinada rede social. Neste estudo intensivo, o popular jornal Norte-Americano encontrou cinco razões-chave. Os utilizadores partilham para:

  • Melhorar a vida dos outros. De todos os indivíduos que participaram no estudo, 94% admitiram que o conteúdo que publicam melhora a vida do seu público.
  • Se definirem a si próprios. Dois em cada três participantes (ou seja, 68%) dizem que partilham conteúdo com o intuito de criar a “persona online ideal“. Dito por outras palavras, partilham determinado conteúdo porque acham que, dessa forma, estão a agradar aos seus pares.
  • Manter relações. Quatro em cada cinco participantes partilha conteúdo para estar conectado com família e amigos, garante esta investigação. Normalmente, os utilizadores das redes sociais querem estar ligados às pessoas de quem gostam.
  • Se sentirem realizados. “Os utilizadores gostam mais de determinado conteúdo quando o partilham”, pode ler-se aqui. Isto explica, por exemplo, a necessidade que temos em ser gostados e partilhados nas redes sociais.
  • Espalhar aquilo em que acreditam. Quatro em cada cinco participantes (84%) realçam a importância de apoiar determinadas causas ou empresas.

Estas cinco razões-chave mostram, e bem, a importância dos relacionamentos inter-pessoais nas redes. As marcas têm que aparentar ser mais humanas.

2. A cor de determinada imagem pode alterar o comportamento do público

Por si só, podemos achar que a cor não é importante para uma estratégia digital, mas a verdade é que é. De acordo com o estudo Impact of Color on Marketing, “os indivíduos tomam decisões 90 segundos depois de verem determinado conteúdo. Cerca de 62 a 90% das nossas percepções são baseadas apenas nas cores“.

Para tomar decisões estratégias relativas às cores dos seus conteúdos, considere quais as cores que comunicam melhor a sua marca. Talvez o Color Psychology Guide possa ajudar.

3. Construir confiança com o público afigura-se essencial

Um estudo levado a cabo pelo Harvard Business Review concluiu que a oxitocina – um hormona libertada pelo cérebro e que é considerada “a Hormona da Confiança” – aumenta no nosso sistema nervoso quando assistimos a uma “história heróica” em vídeo. Quando o cérebro produz oxitocina, as pessoas têm tendência a confiar mais e são mais generosas.

Para determinar isto, os investigadores testaram se narrativas filmadas em vídeo causariam algum impacto na produção de oxitociona, em vez das interações cara-a-cara. Análises ao sangue, antes e depois dos vídeos apresentados, concluíram que este tipo de histórias mais emotivas fazem aumentar a produção da referida hormona.

Nesse sentido, podemos depreender que o conteúdo elaborado por uma marca tem que ser, necessariamente, realista e pessoal. Utilizar User Generated-Content poderá ser um meio para atingir esse fim, por exemplo.

4. As emoções são contagiantes e propagam-se rapidamente

Segundo a revista Psychological Science, evocar certas emoções pode ajudar a aumentar a probabilidade de partilhar uma mensagem. “A partilha de determinadas histórias ou informações pode ser feita, em parte, devido ao entusiasmo. Quando as pessoas se sentem entusiasmadas, seja devido a estímulos emocionais ou outros, isso impulsiona a partilha de conteúdos”.

Para usufruir deste positivismo na sua estratégia de marketing digital, considere:

  • A utilização de humor no seu conteúdo (aqui poderá encontrar mais sobre o tema);
  • Adicionar emojis ao seu conteúdo assim que for apropriado;
  • Partilhar(de forma positiva) histórias verídicas sobre clientes ou empregados.

Se quiseres estar a par das novidades do mundo do marketing digital e redes sociais, subscreve o nosso Auto-Rádio.

 

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário