En

Contacte-nos

4 técnicas de Growth Hacking para experimentar na sua empresa

Gestão de redes sociais | 31 Março 2017 | Miguel Menaia

Tal como já referimos neste artigo, o Growth Hacking é um processo utilizado actualmente em alguns canais de marketing e tem como objectivo identificar as maneiras mais eficazes para fazer crescer um negócio. Quem está nesta área foca-se sobretudo em alternativas low-cost ao marketing tradicional (ou seja, rádio, imprensa e televisão), nomeadamente utilizando os media digitais.

Um growth hacker é, portanto, alguém que compreende muito bem as características intrínsecas de um produto e que define estratégias capazes de potenciar a sua divulgação e/ou venda a partir de métodos considerados não-convencionais, não-tradicionais.

No artigo de hoje, apresentamos 4 técnicas de Growth Hacking passíveis de serem implementadas por empresas e marcas.

1. Hack para aumentar as subscrições no YouTube

Se trabalha na área do marketing digital – ou se é apenas um entusiasta das redes sociais – sabe que o Youtube é uma excelente plataforma para as marcas divulgarem os seus produtos e serviços, sobretudo se estas mesmas marcas possuírem uma forte componente visual nos seus conteúdos. Partilhar o nosso canal de YouTube noutros locais, como no Facebook ou no Twitter, é algo que é comum. No entanto, conseguir ter uma audiência transversal a todas as redes não se afigura tarefa fácil – a menos que conheçamos este hack.

Ao adicionar este código (?sub_confirmation=1 ) ao link do nosso canal de YouTube, e ao partilhá-lo nas restantes plataformas, conseguimos facilmente aumentar o número de subscrições, na medida em que é aberto um pop-up que alerta o utilizador para tal.

Desse modo, e exemplificando, imaginemos que este é o nosso link: https://www.youtube.com/user/FujitsuPortugal?sub_confirmation=1. Quando o utilizador clicar no endereço, aparecerá no seu browser algo como o que está na imagem abaixo.

2. Hack para aumentar o número de visitantes no LinkedIn

O Linkedeep é uma ferramenta automática que permite a qualquer pessoa pesquisar por utilizadores dentro da rede social com uma keyword pré-definida. Ao fazê-lo, estamos a direccionar a atenção para o nosso perfil pessoal, o que poderá ser interessante, na medida em que conseguimos aumentar a nossa rede de contactos com pessoas que estão dentro da área. Para além disso, o Linkedeep consegue personalizar mensagens (funcionando a algo parecido a um chat bot).

3. Hack para aumentar o número de seguidores no Instagram utilizando apenas a localização

Diz-nos o The Next Web que, em Dezembro, bastantes marcas estavam a localizar os seus posts de Instagram em Singapura, apesar de não se encontrarem efectivamente naquele sítio. Porquê? Porque alguns influencers assim o fizeram, de forma a gerar um boost de likes e seguidores. A técnica tornou-se viral e, embora não se tenha percebido o porquê, o certo é que resultou: alegadamente, uma falha no algoritmo da rede social fez que os posts geo-localizados em Singapura aparecessem no topo do feed dos utilizadores.

Assim sendo, este conselho pode ser inusitado – pois não sabemos o que é que será “a próxima Singapura” – mas, ao mesmo tempo, tem fortes possibilidades de funcionar, assim que se torne viral.

O site The Next Web avança, ainda, algumas localizações que poderão vir a ser profícuas para aumentar os seguidores de uma marca no Instagram, a saber:

  1. Maio e início de Junho – Milão
  2. Agosto – Estocolmo
  3. Fim de Agosto e ínicio de Setembro – Cinque Terre (Itália)

4. Hack para aumentar a base de seguidores no Facebook através do botão “Convidar”

Converter meros internautas numa comunidade activa de utilizadores é, sem dúvida, aquilo que os Comunnity Managers de uma marca mais ambicionam no seu dia-a-dia profissional. Não basta que os posts sejam disrupitvos e que existam muitos shares ou comentários a um conteúdo; enquanto profissionais do marketing, temos que ser pró-activos e procurar novas formas de abordar eventuais consumidores. E por isso mesmo, devemos utilizar o botão “Convidar” do Facebook tanto quanto possível.

É de salientar que este botão tem alguns bugs, não funcionando a 100% na rede social – isto é, não mostrando de forma fidedigna as pessoas que gostaram, ou não, da página. Todavia, utilizá-lo naquele post viral (que atraiu novos utilizadores à página), ou naquela campanha onde se investiu dinheiro para Facebook Ads, é uma óptima maneira de converter utilizadores passageiros em engaged users.

Outra técnica, ainda semelhante a esta, passa por convidar amigos da nossa própria rede social pessoal para gostar de determinada página que gerimos. Inclusive – e para quem não quer estar a clicar centenas de vezes no botão Invite – existem extensões para o Google Chrome que o fazem à distância de um clique.

Regra geral, o Growth Hacking é considerado pouco ético para alguns utilizadores, que vêem neste processo um atalho para chegar a um objectivo específico, como gerar leads ou angariar subscritores. Seja como for, é bastante utilizado para fazer crescer negócios e marcas digitalmente, pelo que não deve ser descurado pelos departamentos de marketing das empresas.

Desse modo, aconselhamos estas 4 técnicas que, para além de serem muitas vezes utilizadas por nós, não são demasiado invasivas para o utilizador, logo que executadas com bom-senso e ponderação.

Se quiseres estar a par das novidades do mundo do marketing digital e redes sociais, subscreve o nosso Auto-Rádio.

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário