Gestão Redes Sociais

Criação de Marca

Desenvolvimento de Website

Criação de Conteúdos

En

Contacte-nos

Black Hat SEO – o lado negro da otimização dos motores de busca

Comunicação Digital | 5 Julho 2019 | Rafael Venâncio

O SEO é uma ferramenta importante para ficares mais bem posicionado nos motores de busca.

Até aqui não te estamos a dar nenhuma informação nova mas e se te dissermos que existem formas, incorrectas e manipulativas, de chegar ao topo da página? Se achavas que apenas era possível chegar ao topo através de boas práticas de SEO ou através de Ads estás enganado! Hoje vamos falar-te um pouco do lado negro do SEO, mais conhecido por Black Hat.

Antes de mais, o nome. De onde vem?

Black Hat SEO

Especula-se que tenha sido influenciado pelos filmes de cowboys em que os “maus da fita” eram distinguidos por utilizarem um chapéu preto. No mundo do SEO, quem utiliza boas práticas usa o chapéu branco, e quem escolhe o lado negro utiliza um chapéu preto. Fácil.

A terminologia, Black Hat SEO, refere-se às más práticas de optimização dos motores de buscas. Ou seja, fazer batota para chegar ao topo! As técnicas utilizadas são punidas por não estarem em conformidade com as Webmaster Guidelines e Terms of Service da Google.

Vale a pena?

Black Hat SEO

A Google tem uma lista com mais de 200 fatores e os seus bots (Googlebots) estão constantemente a rastrear páginas para ver se está tudo em conformidade. Como sabemos, são premiadas as boas práticas de SEO, o chamado White Hat SEO. Este processo é mais moroso mas se pretendes manter a página a longo prazo é o ideal. Já as más práticas, levam-te ao topo dos motores de busca a curto prazo mas acabam por ser penalizadas a longo prazo. A utilização destas práticas poderá resultar na perda de posições, na falta de indexação, na perda de confiança e, no pior dos casos, o banimento do site. Não vale a pena correr o risco!

A nosso ver é mais recompensador apostar na longevidade e não na rápida ascensão. Estas técnicas poderão parecer tentadoras mas acabarão por ser punidas.

Afinal, o que é considerado Black Hat?

As técnicas de SEO abaixo mencionadas vão contra as Webmaster Guidelines e Terms of Service da Google, sendo, por isso, consideradas ilegais.

Automatização de Conteúdo;

Doorway Pages – estas reencaminham os utilizadores para uma página diferente daquela que tinham clicado inicialmente;

Texto ou link invisível inserido nas páginas;

Repetição excessiva e utilização Keywords que não são relevantes para o conteúdo;

Negative SEO – são técnicas utilizadas com o objetivo de sabotar os sites da concorrência, entre elas criar perfis falsos para denegrir a imagem do competidor ou até mesmo remeter centenas spam links para o site do mesmo;

Sneaky Redirects – na prática é o ato de redirecionar um utilizador para uma página não requisitada;

Cloaking – é a camuflagem de conteúdos. O conteúdo que os bots rastrearam é diferente do que o utilizador final irá receber;

Esquemas de links – nesta lista constam exemplos como: a compra ou venda de links que passem no sistema de Page Rank; a troca excessiva de links ou a criação de páginas com a finalidade de cross-linking;

Guest Posting Networks – consiste em criar artigos sobre outro site ou página com a menção do autor. Tornou-se num black hat em 2014 quando os utilizadores desta técnica passaram a criar conteúdo de pouca qualidade em grandes quantidades com a finalidade de lucrar. O conteúdo que criavam era em quantidade mas não era de qualidade, traduzindo-se em conteúdo irrelevante – spam;

Article Spinning – trata-se de oferecer um artigo “novo” que consiste na reformulação de palavras, frases e até mesmo parágrafos de um artigo existente. Este processo pode ser manual ou automatizado, cada “spin” oferece uma versão ligeiramente diferente da anterior. Isto transmite à Google que estás a optimizar o teu conteúdo ou a reescrever, quando na verdade só estás a alterar algumas palavras e o conteúdo mantém-se exatamente igual;

Link Farms, Link Wheels ou Link NetworksLink Farms consiste em ter vários sites com um backlink para o site principal; Quanto a Link Wheels, consiste em passar um link de site em site num padrão circular. A forma mais simples de retratar é – Site A > Site B > Site C > Site D > Site E > Site A; Link Networks trata-se de uma estratégia em que reencaminhas os utilizadores em vários sites (geridos por ti) para o site principal;

Rich Snippet Markup Spam – a Google penaliza páginas que apresentem conteúdo enganoso ou falso nos seus snippets;

Automated Queries to Google – a Google pune este tipo de “consulta” porque consome recursos e a utilização de ferramentas de automatização deste processo, para averiguar o ranking de uma página ou site, resulta no envio de vários queries;

Criar páginas, subdomínios ou domínios com conteúdo duplicado – neste caso apenas és punido se o conteúdo for considerado spam, ou seja, repetição desnecessária;

Páginas com comportamento maliciosophishing, vírus, trojans, e outros malwares.

Vê alguns exemplos e conselhos do, SEO master, Neil Patel:

Conclusões principais

Será que é assim tão vantajoso uma rápida ascensão sabendo que a qualquer momento poderás levar com o “martelo da Google”. Os bots da Google estão constantemente a rastrear, pelo que qualquer coisa que lhe possa ter escapado correrá sempre o risco de ser punido. Prima por seguir estratégias de White Hat SEO. Estas permitirão teres um crescimento gradual e sustentado – a longo prazo serás beneficiado. A otimização dos motores de busca não é algo que se consiga de um dia para o outro. Como é óbvio existirão medidas que vão ter um impacto imediato, por exemplo o facto de começares a utilizar Keywords. Mas isso por si só não te levará ao topo. O SEO é um processo exigente e que implica uma atualização constante. O ideal é dedicares todos os dias algum tempo a atualizar os teus conteúdos e páginas para obteres o melhor posicionamento possível. Os Googlebots estão atentos a tudo o que fazes no teu site e se estiveres a fazer um bom trabalho serás premiado, mais cedo ou mais tarde. Também é importante perceberes que não estás a escrever para os motores de busca, estás a escrever para pessoas. Por isso, o que pode fazer sentido para os bots poderá não fazer para os teus leitores. Sê paciente e continua a trabalhar nas tuas técnicas de SEO!

Lê os nossos artigos anteriores sobre SEO para saberes como melhores as tuas práticas e ranking nos motores de busca.

Se quiseres estar a par das novidades do mundo do marketing digital e redes sociais, subscreve o nosso Auto-Rádio.

O mundo digital tem tanto de complexo como de interessante, mas não te preocupes que estamos cá para te guiar.
Descobre os nossos serviços de gestão de redes sociais.

Saber Mais

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário