En

Contacte-nos

Como desenhar uma imagem de capa para a sua página de Facebook?

Gestão de redes sociais | 14 Junho 2016 | Hugo Picado de Almeida

Ao entrar na sua página de Facebook, a “timeline cover” — a imagem de capa que surge no topo da sua página — é o primeiro contacto do cliente com o seu conteúdo. Funcionando como um dos rostos da sua empresa nesta rede social, é imediatamente evidente que esta imagem deve merecer grande atenção no momento da sua concepção.

Como elemento de destaque, a “timeline cover” assume importante papel na comunicação aos utilizadores: seja uma promessa da marca, os seus valores, um produto destacado ou um ambiente visual a promover. Independentemente das particularidades e objectivos da sua comunicação, é preciso ter em mente as definições e dimensões óptimas para a imagem a criar, assim como não esquecer os espaços que, após o carregamento da sua imagem, o Facebook ocupará com a colocação da foto de perfil, dos botões de contacto, like e mensagem, assim como o próprio nome e descrição da sua empresa. Este aspecto, aparentemente óbvio, é muito comummente descurado por alguns designers não habituados a trabalhar redes sociais, que simplesmente adaptam a imagem da marca ao formato rectangular da cover, com as medidas certas, mas esquecendo que parte da informação relevante poderá ficar escondida ou com a leitura dificultada (por exemplo, atrás dos botões do Facebook).

Partilhamos abaixo um guia com as principais medidas a ter em conta ao desenhar uma timeline cover para a sua página de Facebook:

timeline_dimensions

Resumidamente, a cover deve ser desenhada como um material específico, e não ser apenas eco, parente pobre, dos demais materiais da marca. É sempre conveniente contar com um designer experiente em redes sociais para a concepção da sua timeline cover, para evitar repetir alguns dos erros abaixo:

exemplocover1
Neste caso, obviamente não foram consideradas as especificidades de uma imagem de capa no Facebook: não foi tido em conta o espaço ocupado pelo nome da página e pelos botões. O resultado é obviamente ruidoso e uma falha comunicacional: por um lado, impede a leitura e consequente acesso à mensagem que a empresa pretendia passar, por outro, oferece uma imagem pobre e descuidada, com risco para a credibilidade da empresa. Além disso, a imagem terá sido carregada em JPEG e não em PNG, que seria o mais adequado para o caso. Vejamos abaixo:

exemplocover2
Neste segundo caso, conquanto a sobreposição de elementos não seja grave, é porém notória a perda de qualidade da imagem em redor do texto, com diversos artefactos pixelizados a surgir. Para prevenir isto, sobretudo ao utilizar texto e vectores, é sempre preferível usar o formato PNG.

Em artigos futuros abordaremos mais profundamente as diferenças entre tipos de ficheiro e o seu upload para o Facebook, bem como um guia de dimensões para os diversos tipos de imagem existentes nesta rede social.

Hugo Picado de Almeida
Perfil LikedIn

[download file=”https://www.van.pt/wp-content/uploads/2016/05/Os-10-desafios_blogdownload.pdf” title=”Os 10 desafios  mais comuns do marketing nas redes sociais”]

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário