En

Contacte-nos

Como uma conta viral de Instagram se tornou numa agência de marketing digital

Gestão de redes sociais | 4 Maio 2017 | Miguel Menaia

Quando Elliote Tebele e Elie Ballas começaram a agregar memes e imagens divertidas em 2011 no seu Tumblr, longe estariam de imaginar que, em 2017, se tornariam num fenómeno da internet. Hoje em dia, a FuckJerry não é apenas uma conta viral de Instagram com mais de 12 milhões de seguidores – é um franchise que detém, entre outras coisas, uma agência de marketing digital.

Para além de um site com merchandising, de um Instagram, de um Facebook e de outras contas associadas, a Jerry Media (assim se chama a empresa que agrega todas as outras) possui uma vasta rede de influencers e presta diferentes serviços de gestão e produção de conteúdos, afigurando-se como uma popular agência de marketing digital no mercado Norte-Americano.

Ao longo do percurso, porém, Tebele e a sua equipa foram constantemente criticados por plagiarem e reciclarem material criativo de outras pessoas sem a sua autorização. Seja como for, em 2014, a sua conta de Instagram chegou ao primeiro milhão de seguidores – algo que foi considerado um momento muito importante na história da empresa. Um mês depois desse feito, a marca começou a ter publicações patrocinadas por outras marcas (como o Burger King, por exemplo) no Instagram.

“Apesar de termos começado a prestar serviços de influencer marketing, quisemos alargar o nosso espectro a algo maior”, salienta Mick Purzycki (CEO da Jerry Media) em entrevista.

O branding dos tempos modernos – o caso de Pinto, The Burrito

Designers, criativos, especialistas em motion graphics e gestores de redes sociais – todos estes profissionais fazem parte, actualmente, dos quadros da Jerry Media. No último ano, esta agência cresceu de quatro para 20 empregados, mas não abandonou as suas raízes: Tebele, o fundador da empresa, continua a ter um papel essencial na parte criativa do conteúdo que é produzido, gerindo uma equipa de 5 pessoas que se dedica inteiramente à concepção de memes.

Os memes são um tipo de conteúdo que exige alguma atenção dos utilizadores. Para além disso, são altamente adaptáveis a qualquer marca“, diz Purzycki.

A título de exemplo, vejamos o caso de Dos Toros, uma cadeia de restaurantes mexicanos cujo conteúdo nas redes sociais é efectuado pela Jerry Media. Ao criarem uma mascote digital exclusivamente para a marca, a agência de marketing utilizou o sentido de humor para gerar engagement com os utilizadores.

A conta de Pinto, The Burrito segue os trending topics da internet e apresenta números espantosos – no Instagram, possui cerca de 150 mil seguidores.

DAMN – Pinto is definitely a top 5 Wrapper in the game. #damn

A post shared by Pinto (@pintotheburrito) on

Monetização e viabilidade

Enquanto agência, a Jerry Media tem a sua monetização não só através de branded content, mas também de outros serviços que presta, como por exemplo a compra de anúncios na internet.

Relativamente a projectos futuros, espera-se que a empresa siga o caminho que a BuzzFeed percorreu. Dito por outras palavras, a Jerry Media quer tornar-se numa plataforma de media, estando inclusive a testar uma nova página de notícias chamada JerryNews.

 

Esta é a prova de que a internet tem espaço para vários tipos de negócio, sobretudo para aqueles que são bastante disruptivos e que rompem com as ideias pré-concebidas daquilo que devem ser as empresas.

Se quiseres estar a par das novidades do mundo do marketing digital e redes sociais, subscreve o nosso Auto-Rádio.

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário