En

Contacte-nos

Desmitificar o marketing de conteúdos em 6 passos

Comunicação Digital, Gestão de redes sociais | 21 Setembro 2018 | Jesse Viana

Pode não ser óbvio para todos, mas o Marketing de Conteúdos é um bocado big deal: quando é bem executado consegue ser eficaz, ajuda a construir brand awareness, traz potenciais leads (ou seja, potenciais novos consumidores de um certo tipo de produto) e, como cereja no topo do bolo, tráfego no website acompanhado de conversão de espectadores em consumidores. Não soa mesmo bem?

Até há coisa de uma década, era um termo de que ninguém ouvia falar. Hoje em dia, é usado pela maioria dos marketeers digitais, mas ainda há quem não saiba o que é e como, efetivamente, funciona. O seu objetivo principal é criar e distribuir conteúdo que seja relevante e valioso para a marca, independentemente do seu tamanho – quer seja só um negócio, uma organização, etc. Para que isto funcione, é essencial que o conteúdo traga algo de valioso à audiência que ambiciona.

Com estas dúvidas surgem, também, alguns mitos à volta deste tipo de Marketing. Nós, quais caça-mitos, estamos aqui para desmitificar seis deles.

1. Ah, não preciso disso.

Não é bem assim… Todo o tipo de negocio, pequeno ou não, precisa: não só vai fazer com que apareça em buscas do Google (SEO), trazendo mais visitas ao site (logo, mais tráfego), como também vai posicionar as marcas como líderes da indústria.
Apesar de todos estes benefícios, ainda há muitas marcas que têm dificuldade em estabelecer uma boa estratégia – a chave é saber integrá-la na campanha de Marketing, propriamente dita. E, para que o conteúdo atinja a conversão (quando os visitantes de uma página são clientes que pagam), tem de comunicar uma mensagem clara e com valor. De preferência, multicanal.

2. Toda a gente pode fazer isso!

Claro, toda a gente até pode saber escrever, mas nem toda a gente sabe o que e como escrever, principalmente quando é a tua história enquanto marca. Um bom escritor de conteúdos vai até ao limite para saber o como e o que escrever, pois conhece e entende o teu nicho, sabendo aproveitar isto para comunicar eficazmente para a tua audiência.

O que constitui um bom conteúdo? Três coisas: relevância, ser interessante e incentivar uma ação. Aliando isto a um bom escritor de conteúdos, é receita perfeita para que no final saia uma boa estratégia.

3. Devia ser mais barato. Ou até grátis!

Como em tudo, tens aquilo que pagas: sem qualidade no conteúdo, não chegas a quem queres. A boa noticia é que este tipo de marketing é, ainda assim, mais barato do que o tradicional, e em contrapartida, traz mais leads. Por isso, esquece essa ideia… Mas, se ainda assim tiveres dúvidas, lê novamente ali o ponto 2.

4. Oh, mas já ninguém lê.

O que é facto é que as pessoas ainda leem, só não têm tempo para perder com mau conteúdo. Precisamente por isto é que deve ter um propósito, deve resolver um problema, informar, enfim, adicionar algo a quem lê. Se for demasiado promocional ou incorreto, nunca será bom.

5. Não é a mesma coisa do que ter um blog?

Deixa-te disso: é muito mais do que apenas palavras numa página. No panorama digital que hoje conhecemos, é infografia, é vídeo, é podcasts ou qualquer outro meio audiovisual que queiras usar para contar a tua história. Claro que o texto é quem sempre esteve ali para nós, e resulta melhor nas buscas, mas o vídeo, por exemplo, é muito mais eficaz a captar a nossa atenção.

6. Não é imediato?

Há que ser paciente, recolher os benefícios por ter o conteúdo online pode demorar o seu tempo. Com exceção para aqueles casos em que o post se pode tornar viral, fazendo com que o search engine tenha um boost (assim como o tráfego), a maior parte do conteúdo precisa do seu tempo para se fazer notar.

O Google (SEO) tem em conta factores como a qualidade e a relevância do teu conteúdo, ou a quantidade de partilhas que tem. Quanto mais antigo se torna, mais orgânico fica. Eventualmente, irá transformar-se naquilo a que se chama “evergreen content– com o passar do tempo, continua relevante. Este tipo de conteúdo dá valor ao SEO e atrai audiência, ou seja, quanto mais tempo estiver online, mais valor ganhará.

O Marketing de Conteúdos apoia-se muito nisto, a fim de ganhar conversões, conhecimento e audiência, sendo fundamental e constituindo um bom investimento a longo prazo. Acima de tudo, nunca te esqueças que o importante no meio de tudo isto é que contes a tua história.

Se quiseres estar a par das novidades do mundo do marketing digital e redes sociais, subscreve o nosso Auto-Rádio.

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário