En

Contacte-nos

Diciopédia de termos do Marketing Digital – Vol II

Comunicação Digital, Gestão de redes sociais | 6 Dezembro 2019 | Rafael Venâncio

Bichos no marketing há muitos, o nosso papel é ajudar-te a compreendê-los!
Vamos explicar-te e descomplicar os “palavrões” do marketing para que nunca tenhas de voltar a passar uma noite em branco! 
Não percas o segundo volume da nossa Diciopédia de termos de marketing digital!

Chatbot

Alguma vez enviaste uma mensagem numa página e recebeste uma mensagem instantânea de volta? Então é muito provável que já tenhas interagido com um bot. Na verdade, nos dias de hoje, se estás online é quase impossível que nunca te tenhas deparado com um chatbot!
Um chatbot é basicamente um assistente virtual. Trata-se de um programa que utiliza inteligência artificial para interagir com os utilizadores.
Os chatbots estão presentes em diversas plataformas e aplicações, como por exemplo no Facebook (ex: página da Super Bock) e em diversos sites de e-commerce.
Os chatbots dividem-se em duas categorias: chatbots baseados em regras e chatbots baseados em inteligência artificial

Diciopédia de termos do Marketing Digital – Vol II: Chatbot

Chatbots baseados em regras

Estes foram programados para responder e entender um determinado número de palavras-chave pré-inseridas. À medida que o utilizador vai colocando questões o bot vai identificando as palavras-chave e respondendo conforme foi programado. Funciona, de certa forma, como FAQs (Frequently Asked Questions) automatizadas. Caso nenhum dos termos seja identificado pelo bot ele poderá não conseguir dar seguimento ao chat e pedirá para escolher outro termo.

Chatbots baseados em inteligência artificial

Estes bots já são mais avançados. Neste caso, o bot analisa as palavras inseridas pelo utilizador e processa-as para conseguir dar respostas mais adequadas. O bot tem perguntas pré-programadas mas consoante a análise das respostas dos utilizadores consegue dar sugestões autonomamente.

Inbound Marketing

Também conhecido como Marketing de Atração, o Inbound Marketing é um conjunto de técnicas de comunicação que procura atrair potenciais clientes com conteúdos que lhes são relevantes.
É uma técnica que não se foca especialmente na bonificação a curto prazo, mas sim a longo prazo, no objetivo final.
Afasta-se da concepção do Marketing tradicional (ou Outbound Marketing) mais focada no produto e na venda do mesmo.
Por que é que surgiu a necessidade de mudar a forma como comunicamos? Porque os consumidores se tornaram mais exigentes com o tipo de publicidade que consomem e com a comunicação que estão dispostos a receber. Então as marcas tiveram de alargar o leque para além dos canais tradicionais (jornais, rádio, tv, publicidade exterior) e dirigiram-se para o digital.
É uma estratégia, maioritariamente, orgânica, pelo que é imperativo ter o SEO sempre atualizado e marcar presença nas plataformas em que os potenciais clientes estão.

Diciopédia de termos do Marketing Digital – Vol II: Inbound Marketing

As estratégias de Inbound Marketing podem passar pelos seguintes canais:

Redes Sociais

Sê “amigo” dos teus potenciais clientes. Descobre em que plataformas estão e de que tipos de conteúdos gostam. Procura oferecer-lhes o que eles precisam ou, melhor ainda, surpreendê-los com algo que não sabiam de que precisavam. Interage e cria afinidade; a longo prazo poderás ver resultados bastante positivos.

Rede sociais

E-mail

Os contactos na tua lista de e-mail deverão ser “earned” e não pagos. Afinal de contas, ninguém gosta de saber que os seus dados andam a circular sem autorização. Aqui poderás explorar o envio de conteúdos relevantes através de, por exemplo, Newsletters. Poderás ainda cativar a atenção dos teus potenciais clientes com a oferta de “prendas”, como livros digitais e convites para eventos.

E-mail

Blog

Aqui poderás mostrar que és conhecedor daquilo que “vendes”. Publicar conteúdos como tutoriais e reviews de produtos e serviços. Assim estarás a criar conteúdos de que a tua audiência precisa e dás “provas” de que és um líder de opinião na tua categoria de produto/serviço, o que se traduz no aumento da credibilidade e, em simultâneo, da afinidade.

Blog

Otimização de SEO

Um SEO bem arrumadinho permite-te seres encontrado mais facilmente e de forma orgânica nos motores de busca. Relembramos que é importante estar na primeira página.

Otimização de SEO

Retargeting

Já ouviste falar deste “bicho”? O Retargeting é, na prática, uma tentativa de “reconexão” com potenciais consumidores que demonstraram algum interesse no que tínhamos para oferecer mas não estavam bem preparados para concluir a compra. Pode também aplicar-se a consumidores atuais, em que tentas “reconectar-te” com consumidores que já haviam procedido ao “checkout” num curto espaço de tempo.
O Retargeting consiste em impactar, através de anúncios, quem esteve previamente em contacto com a nossa mensagem, conteúdos ou site.
E como é que conseguimos adquirir os dados de quem esteve em contacto “connosco”? Através de cookies! Cookies esses que são apresentados aos utilizadores sob o formato de pop ups ao entrarem no site, com uma mensagem do género “o nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência”. Os cookies estão programados/incluídos no código do site e retiram os dados de pesquisa dos utilizadores.

Diciopédia de termos do Marketing Digital – Vol II: Retargeting

Existem diferentes tipos de Retargeting definidos em função do teu objectivo final! Por exemplo:

  • Retargeting Temporal – tiveste um utilizador que até adicionou produtos ao carrinho mas não fez o checkout. O que podes fazer para não perderes a oportunidade de concluir a venda? Pões, por exemplo, anúncios a correr com um cupão de 10% na próxima compra durante a semana seguinte. Isto funciona bem em categorias de produtos que requerem algum tempo de reflexão e quando a única coisa que faltou para concluir a compra foi um “empurrãozinho”.
  • Retargeting para Cross-Selling – neste caso o objetivo é impactar consumidores com produtos complementares àqueles que compraram. Por exemplo, eu compro umas chuteiras de futebol e começo a receber anúncios para comprar uma bola, umas meias, um equipamento completo, etc. Consiste em oferecer algo que nem estava bem nas prioridades do consumidor, mas em que este até é capaz de estar interessado.
  • Retargeting para Up-Selling – aqui o objectivo é relembrar e trazer de volta pessoas que já tenham efectuado compras no nosso site/página. Uma pessoa que já tenho feito compras num determinado site tem maior probabilidade de voltar a comprar nele do que um novo consumidor. Nos EUA 40% da receita total de Websites eCommerce advém de clientes que repetiram as suas compras.

SEM (Search Engine Marketing)

O SEM é um conjunto de técnicas que tem como finalidade colocar a nossa página ou site no topo dos motores de busca.
Esta é uma área de especial importância no Marketing Digital, já que estudos apontam para que 75% dos utilizadores não passe da primeira página de uma pesquisa no Google!
O SEM, também conhecido como marketing de otimização dos motores de busca, divide-se em SEO (orgânico) e Links patrocinados (Ads).

Diciopédia de termos do Marketing Digital – Vol II: SEM (Search Engine Marketing)

SEO

Por norma as pessoas dão prioridade a páginas orgânicas, pois demonstra que o Google analisou e validou o conteúdo que a mesma contém. Estar na primeira página do Google de forma orgânica é, de certa forma, um “carimbo de qualidade” que dá mais segurança e confiança a quem clica num link presente na mesma.
Mas para ter um SEO impecável, é preciso ter debaixo de olho imensas variáveis de um site, tais como: as palavras-chave que estão a ser utilizadas, a estrutura do texto, a qualidade dos conteúdos, a criação de backlinks, o tráfego que a página recebe, o número de vezes que a página é atualizada, a utilização de conteúdos media otimizados, e muito mais. É um trabalho moroso, e complexo em certos campos, mas que traz bons resultados a longo prazo.

Links Patrocinados

Os Links Patrocinados são campanhas de Ads nos motores de busca, que ajudam o nosso link a ficar mais bem posicionado. Por norma são cobrados por Clique (CPC – custo por clique), mas também podem ser cobrados por conversão (CPA – Custo por Aquisição) e ainda o custo por impressões (CPM – custo por mil impressões, que a meu ver não é tão vantajoso para o anunciante, uma vez que um mero scroll pode muitas vezes ser contabilizado como impressão um scroll). 
Esta técnica é ideal para resultados a curto prazo mas a longo prazo não é tão sustentável. Quando deixares de investir em Ads, corres o risco de perder a tua posição na página principal, isto em casos de sites com o SEO mal otimizado ou em resultados de pesquisa com termos bastante concorridos.

O ideal será encontrar o balanço entre as duas estratégias: preocupa-te em otimizar regularmente o SEO do teu site e ao mesmo tempo poderás ter uns ads a correr em termos de pesquisa mais concorridos.

Testes A/B

Os testes A/B são testes em que se realizam comparações entre diversas variáveis de marketing. Esta técnica permite-te, por exemplo, comparar diferentes versões da mesma página para ver qual converte melhor
Este é um dos termos de marketing digital mais literais, terás de escolher entre a variável A ou B.

A realização dos testes A/B – com as devidas conclusões bem implementadas – aumentam as chances de sucesso e conversão de um site (ou outros), pois permitem perceber o que funciona ou não. Reduzem significativamente o risco de falhar.
Deverás analisar e testar variáveis que tenham um impacto mais direto sobre a taxa de conversão, mas em última instância poderás testar todas.

ATENÇÃO! Não deves testar mais do que uma variável ao mesmo tempo; assim não poderás perceber que alteração teve impacto.
Algumas das variáveis mais importantes em termos de conversão são:

  • Títulos e Subtítulos;
  • Imagens;
  • Estrutura da página;
  • URL;
  • Campos de um formulário;
  • Extensão e formato do textos;
  • Elementos visuais.
Diciopédia de termos do Marketing Digital – Vol II: Testes A/B

Conclusão

Com a transição para o digital têm vindo a surgir novos e complicados termos e denominações de marketing. E nós sabemos que o podem, por vezes, ser confusos.
Esperamos que o volume termos de marketing digital desta semana te tenha esclarecido alguns dos “bichos” que te atormentavam.
Há algum termo que que queiras ver esclarecido? Manda-nos por mensagem e nós incluiremos na próxima edição. 
Fica atento aos próximos volumes!

Se quiseres esclarecer qualquer dúvida que tenha surgido passa pela nossa página de Facebook ou Instagram .Podes ainda subscrever ao auto-rádio, a nossa newsletter semanal com as últimas notícias do mundo do marketing digital.

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário