En

Contacte-nos

LinkedIn: a plataforma online que revolucionou o mundo empresarial

Gestão de redes sociais | 13 Setembro 2016 | Miguel Menaia

LinkedIn é uma ferramenta essencial para os indivíduos e para as empresas que procuram criar novas conexões, gerar leads e construir uma identidade de marca. Esta plataforma é importante para praticamente todas as áreas de negócio, mas é sobretudo relevante para as empresas que fazem marketing Bussiness-to-Bussiness (B2B) .

Ao longo da última década, esta rede social do mundo dos negócios tornou-se indissociável das ferramentas de marketing de uma empresa e da sua estratégia digital. Funciona maioritariamente como uma ponte entre as marcas (que divulgam o seu negócio e algumas eventuais oportunidades de emprego) e os trabalhadores (que disponibilizam nos seus perfis as suas capacidades técnicas, o seu percurso académico e o seu Curriculum Vitae), mas pode também ser explorada enquanto veículo de comunicação de um serviço a outra empresa.

O LinkedIn conta actualmente com 450 milhões de membros (número este que tem crescido bastante ao longo dos últimos anos, como pode ser visto aqui), e foi adquirido este ano pela Microsoft por 26.2 mil milhões de dólares.

Neste artigo, evidenciamos 10 razões pelas quais é imprescindível para uma marca ter um perfil de LinkedIn nos dias que correm, sobretudo se se enquadrar numa lógica B2B.

 

1. Mais importante que o Facebook para o marketing entre empresas

De acordo com um estudo realizado no ano passado, o Linkedn ultrapassou o Facebook no marketing entre empresas, estando agora em primeiro lugar como a Plataforma Mais Importante Para Os Marketers B2B. Nesta investigação, 41% dos profissionais de marketing inquiridos elegeram a plataforma da Microsoft como indispensável na comunicação empresarial, ao passo que 30% preferiram o Facebook para o efeito.

2. Terceira plataforma mais utilizada por detentores de negócios 

O site Salesforce, no seu habitual relatório de marketing anual, considerou que esta rede social é a terceira mais utilizada entre empresários, com 62% dos inquiridos referindo que utilizam regularmente a plataforma. Isto espelha bem a relevância desta que é considerada como uma das maiores ferramentas online no mundo de negócios.

3. O LinkedIn aparece no topo de pesquisas do Google

Quer se seja CEO de uma reconhecida e prestigiada empresa ou dono de um negócio local, o certo é que no ranking do Google o perfil do LinkedIn (quando devidamente optimizado) aparece sempre nas primeiras pesquisas. De acordo com um estudo efectuado pela Gravitate Online – que teve por base 8 milhões de cliques – 94% dos utilizadores clicam na primeira página de resultados deste motor de busca; por seu turno, só 6% dos utilizadores prosseguem para a segunda página de resultados.

Ora, isto significa que a probabilidade do nosso perfil de LinkedIn ser clicado logo na primeira página de resultados é imensa. Como tal, é preciso certificar-se de que:

  • As keywords utilizadas na bio e na descrição da página são as mais relevantes para o negócio;
  • O título da empresa é suficientemente descritivo;
  • Todos os campos do perfil (e não só os obrigatórios) estão preenchidos;
  • O nosso perfil está linkado directamente para o website ou blog da empresa.

linkedin_content_marketing

4. Bastante eficaz no lançamento de novos produtos 

As redes sociais, ao longo dos últimos anos, têm protagonizado um incremento do impacto da distribuição de conteúdos e da divulgação de informação para os mediabloggers e consumidores. Nesse sentido, as marcas estão cada vez mais adoptar o LinkedIn, bem como outras plataformas, para anunciar novos produtos ou serviços, descurando as tradicionais press releases que até há bem pouco tempo eram prática comum.

De facto, 81% dos negócios Business-to-Business utilizam o LinkedIn como plataforma principal para a divulgação de novos produtos, segundo um inquérito feito pelo site Regalix. Não obstante, 71% utilizam o Twitter, e 54% preferem o Facebook.

5. Melhor plataforma para recrutar novos talentos

Muito embora os websites de procura de emprego sejam, por excelência, os websites tradicionais para encontrar candidatos qualificados para uma determinada área, a verdade é que nos últimos 4 anos as redes sociais empresariais alteraram o paradigma profissional para melhor. Inclusive, o próprio LinkedIn conduziu uma investigação na qual referia que esse tipo de redes sociais aumentaram a sua oferta e procura em 73%, ao contrário das outras plataformas supracitadas.

É, por isso, natural dizer-se que serviços como o LinkedIn tornaram as candidaturas de emprego (sejam elas espontâneas ou não) mais abrangentes, dinâmicas e inovadoras, o que levou à massificação deste tipo de redes sociais, sendo esta, em específico, dona e senhora do mercado.

6. Rede social que gera mais leads

Um estudo desenvolvido em 2012 pelo conceituado website Hubspot descobriu que o tráfego de referência do LinkedIn tem a maior taxa de conversão de vistante-para-lead em relação a outras redes sociais (2,74%); muito mais, até, que o Facebook (0,77%) ou Twitter (0,69%). Por outras palavras, isto significa que o LinkedIn é passível de converter, com muito mais eficácia, um utilizador para um site de uma marca, isto, é tornando-o um contacto que uma empresa poderá depois utilizar para tentar chegar a uma venda.

7. Ideal para garantir credibilidade

O LinkedIn distribui conteúdo profissional melhor do que qualquer outra rede, o que legitima um indivíduo enquanto líder da sua empresa. Os grupos presentes no site permitem que nos coloquemos numa posição de prestígio, de credibilidade e confiança, fazendo com que sejamos influencers no nosso nicho – algo que é cimentado através das recomendações de outros utilizadores.

illustration-male-engineer-feature_1290x688_ms1-940x501

8. Potencial para chegar a todos os seguidores

Ao contrário do algoritmo do Facebook, o algoritmo do LinkedIn não filtra os posts por relevância. Quando publicamos um update no perfil da nossa empresa no LinkedIn, este aparece em todos os feeds simultaneamente (o que a rede social denomina de impressions), independentemente da interação que os seguidores tiveram (ou não) com a página no passado

Contudo, isto não significa que todos os seguidores estejam dentro da plataforma quando fazemos o post. Por essa razão, é importante que as publicações sejam regulares para, desse modo, maximizar o reach. De acordo com a plataforma, os negócios deveriam publicar 20 vezes por mês (no mínimo) no LinkedIn para chegar a aproximadamente 60% do seu público.

9. Melhora as relações interpessoais

Muito embora tenhamos a noção de que as redes sociais estreitam as relações entre pessoas, esta infografia do Wishpond concretiza-o, salientando que 44% dos utilizadores do LinkedIn estabelecem melhores relações enquanto utilizam a plataforma.

10. Melhor rede social para distribuição de conteúdo

O Content Marketing Institute levou a cabo um estudo em 2014 onde reiterou que 94% dos marketers de B2B inquiridos necessitavam do LinkedIn para distribuir o seu conteúdo, sendo esta rede muito mais eficiente para esse propósito do que o Twitter, Facebook ou Google+.

Quando se trata de conteúdos profissionais, o LinkedIn Ads segmenta o target das marcas para que o que estamos a tentar comunicar chegue o mais eficazmente a influencers e potenciais clientes. Isso não só nos garantirá seguidores e conexões, como os seguidores e as conexões certas.

Em suma, quer seja para fazer novas conexões (e com isto estar ligado a pessoas influentes do nosso meio empresarial), atrair potenciais clientes, contratar empregados talentoso ou aumentar a credibilidade do nosso negócio, o LinkedIn afigura-se uma ferramenta indispensável para o marketing digital nos dias que correm. Desenganem-se aqueles que julgam que é uma rede social de segundo plano. Não é.

Poderá não ter a mesma visibilidade que o Facebook ou o que Instagram têm hoje em dia, mas é mais passível de chegar às pessoas certas do nosso ramo de negócio. Adicionalmente, permite que as empresas ou start-ups façam o scouting necessário para contratar novos talentos emergentes no mercado de trabalho.

Partilhar:

Deixa o teu comentário:

Responde a este comentário